TEMA DE REDAÇÃO | Bandido bom é bandido morto?

Bandido bom é bandido morto? Reflita a respeito, considerando a leitura abaixo e também o seu conhecimento de mundo. Feito isso, escreva um texto dissertativo no qual você defenda os seus argumentos de maneira clara, objetiva e precisa.

Não deixe de fazer o seu brainstorm -> esqueleto -> rascunho.

Abaixo, você encontra os textos de apoio. Leia-o com bastante atenção e assista ao vídeo. Busque outras leituras, caso julgue necessário. Por fim, produza um texto dissertativo argumentativo, que deve conter entre 25 e 30 linhas.

***

Se você está preparando para o ENEM, o ideal é que escreva a sua redação com base nas instruções abaixo, extraídas/adaptadas da prova de 2018:

  • A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.
  • O seu texto deve ter entre 7 e 30 linhas. Menos que 7 torna o texto “insuficiente”.
  • Cuidado para não fugir ao tema e não deixe de atender ao tipo dissertativo-argumentativo.
  • Cuidado para não apresentar parte do texto deliberadamente desconectada do tema proposto.

 

TEXTOS DE APOIO

Texto 1

Na medida em que o suspeito é definido como inimigo a ser eliminado, a ideia (falsa) de que estamos numa guerra acaba sendo evocada para justificar tanto as mortes provocadas pela ação policial, quanto as mortes de policiais, que são inúmeras e poderiam ser evitadas, se a vida (de todos) fosse a prioridade das políticas de segurança. Contudo, essa crença que confunde justiça com vingança é alimentada por alguns programas de rádio e TV, e nunca foi sistematicamente combatida, porque a segurança até hoje não entrou na agenda pública para valer. Em outras palavras, a mudança da arquitetura institucional da segurança pública, que herdamos da ditadura, ainda não se tornou uma questão prioritária para o conjunto da sociedade e dos agentes públicos. Infelizmente, segurança entra na pauta somente nas crises, quando vozes compreensivelmente indignadas clamam por vingança e políticos demagogos e oportunistas, de direita e esquerda, advogam penas mais duras, surfando na onda, como se fazer o mesmo com mais intensidade pudesse produzir resultados diferentes. [Leia o texto completo]

Fonte: Estacionamos na barbárie / Zero Hora via Luiz Eduardo Soares

Texto 2

Fonte: Bandido Bom é Bandido Morto? / Entrevista com Marcos Rolim / Jornal Sul21

 

Boa produção!

Um abraço,
Equipe Redação Nota Dez

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *